sábado, 5 de novembro de 2011

Último década

Estatística do GFA Safara

O Grupo de Forcados Amadores de Safara realizou nesta temporada de 2011, 5 espectáculos, 1 demonstração de pegas e participou em mais uma edição da Festa do Forcado em Évora. Além destas atividades o grupo realizou diversos treinos tanto em Portugal, como em Espanha, donde se destaca a participação na Festa Campera do site taurino taurodromo.com.



Nós cinco espectáculos realizados nesta época, o grupo pegou 13 rezes. Desta treze rezes oito foram pegadas ao 1º intento, uma ao 2º intento, outra ao 3º intento, duas ao 4º intento e por fim um vivo sem tentativa por se ter desembolado no momento da colocação.
Quanto aos caras, foram nove sendo que o forcado que mais pegou foi Bruno Valente.



Bruno Valente - 3 toiros/6 tentativas
Fábio Maurício - 2 toiros/5 tentativas
João Travessa - 1 toiro/1 tentativa
Flávio Santos - 1 toiro/1 tentativa
Albino Martins - 1 toiro/1 tentativa
David - 1 toiro/1 tentativa
Tó Chico - 1 toiro/1 tentativa
Fábio Caçador - 1 toiro/2 tentativas
Mário Franco - 1 toiro/3 tentativas

Estatística de Grupo de Forcados na época 2012

O site toureio.com publicou a lista dos grupos de forcados com mais atuações na temporada 2011. A lista é composta 44 grupos de forcados entre associados e não associados na associação nacional de grupo de forcados.
O GFA Safara com as suas 5 atuações da temporada, ficou-se por um modesto 35º lugar. A liderança do maior número de corridas pegadas foi repartida entre o GFA Montemor e o GFA Alcochete.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Mais uma vez em Albufeira

Ontem, dia 6 de Outubro o Grupo de Forcados Amadores de Safara regressou a Albufeira para a realização de mais um espectáculo taurino nesta temporada.
A novilhada ficou saudada com três pegas ao 1º intento através de António Francisco, Albino Martins e David.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A noite foi dos mais novos em Albufeira

O GFA Safara participou na última noite nas Variedades Taurinas realizadas em Albufeira conseguindo um êxito considerável com duas pegas à primeira tentativa e uma à terceira, mas onde o forcado da cara fazia a sua estreia a pegar de caras.
Nas pegas estiveram Flávio Santos ao 1º intento, Fábio Maurício também ao 1º intento e Mário Franco que fez a sua estreia a pegar pelo grupo consumou ao 3º intento.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Granja, 17 de Setembro (Crónica e Imagens)

A corrida dos Murteira Grave na Granja
A praça de toiros da Granja recebeu com as bancadas meias a tradicional corrida integrada nas festas em honra de São Sebastião. Viveu-se uma agradável tarde de toiros. Os Murteira Grave que saíram ao ruedo eram todos eles nascidos em 2008 e deram bom jogo quer para os cavaleiros, quer para os forcados. De destacar a mobilidade, a fijeza na montada, o fundo e a nobreza das rezes vindas da Herdade de Galiana. Talvez lhes faltasse um pouco mais de poder para que as reuniões com os cavalos e as pegas pudessem ser mais emocionantes mas, ainda assim, cumpriram perfeitamente as suas funções.

Abriu praça João Moura Caetano. O seu lote estava composto por um primeiro negro bragado listón, que se apresentou bastante colaborador e que durou até ao fim da lide, e por um negro, que foi o que apresentou menos mobilidade de todo o curro. Frente a eles, Moura Caetano esteve correcto, desenhando as sortes com maestria e cravando “no sitio”. Quiçá lhe tenha faltado empatia com o público e alguns adornos para “meter” a afición da Granja nas suas lides. Foi no quarto da tarde que alcançou a sua melhor actuação, já que com bregas bem conseguidas conectou-se mais com os tendidos da Granja. Terminou as suas actuações com ferros de palmo que agradaram ao público presente.

Em segundo lugar actuou Manuel Telles Bastos. Saiu-lhe em sorte um castanho bragado que foi crescendo com o decorrer da lide e um negro bragado listón que viria a demonstrar menos força que os seus irmão de camada. Telles Bastos recebeu os seus oponentes com três ferros compridos para depois cravar mais seis curtos em ambas as actuações. Seguindo o seu corte clássico, o jovem cavaleiro esteve em bom plano. Apostou em sortes frontais e em reuniões carregadas de verdade mas tal como Moura Caetano faltou-lhe conectividade com os tendidos. Com os toiros que teve por diante talvez pudesse ter alcançado lides de outras dimensões, ainda assim, pouco há de negativo para lhe apontar.

Fechava o cartel João Maria Branco, que viria a ser o cavaleiro mais aplaudido da tarde. O seu lote era composto por um burraco que era colaborador mas que não se empenhava no momento da reunião e por um negro chorreado que foi o que mais se destacou pela positiva, quer de trapio, quer de comportamento. Frente a este bom lote, Maria Branco cravou ferros de excelente nota, em sortes de frente, dando vantagens ao toiro, cravando “en todo lo alto” e rematando com bregas ajustadas. Especial destaque para o primeiro e terceiro ferros curtos da sua primeira actuação, onde saem das bancadas as suas maiores ovações. Pena foi frente ao sexto toiro alguns dos ferros terem ficado mal colocados, tirando assim algum brio à sua segunda actuação.

Envergavam as jaquetas os Amadores de Safara e os Amadores da Póvoa de São Miguel. Pelos Amadores de Safarafoi chamado à cara do primeiro da tarde Bruno Valente, que se fechou ao primeiro encontro. O terceiro do curro foi pegado também ao primeiro intento por João Daniel, numa pega fácil mas onde o forcado da cara teve frieza para carregar o toiro no momento certo. E o quinto por Fábio Caçador à segunda tentativa numa pega onde o toiro empurrou sem maldade pelo “grupo a dentro”.

Pelos Amadores da Póvoa de São Miguel, partiu para a cara do segundo da tarde André Batista, mas um derrote seco e violento não permite que o forcado se feche na reunião. Depois desta tentativa o toiro fica com um piton desembolado e é pegado de cernelha por José André dos Santos e Fábio Madeira ao segundo intento. O quarto do encerro foi pegado ao primeiro encontro por Fábio Madeira, com o forcado da cara a fechar-se com audácia e o grupo a ajudar com coesão. Encerrou a tarde Ruben Mestre que consumou à primeira, numa pega fácil mas onde o grupo não complicou.

domingo, 18 de setembro de 2011

Boa Corrida na Granja

Bruno Valente - 1º Tentativa
João Travessa - 1º Tentativa
Fábio Caçador - 2º Tentativa

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Toiros para sábado na Granja






Albufeira, 3 anos depois

O Grupo de Forcados Amadores de Safara, regressa no próximo dia 29 de Setembro à Praça de Toiros de Albufeira depois de 3 anos sem ali pegar.
Um regresso à muito aguardado depois de na época de 2008 o grupo ter realizado duas novilhadas e uma corrida de toiros naquela praça.
No dia do regresso estarão em praça o praticante Tiago Cantante e a amadora Cláudia Almeida, que lidarão três novilhos pertencentes à ganadaria de António Semedo.

sábado, 20 de agosto de 2011

Crónica e Imagens da Corrida em Sobral da Adiça, 19 de Agosto

Como todos sabem é no Alentejo que o calor mais se faz sentir, mas esta sexta-feira em Sobral da Adiça o calor era insuportável, tendo sido a Festa Brava a levar uma aragem fresca aquela castiça localidade raiana.
Perante aquele intenso calor, meia casa forte se registou numa noite em que actuavam os cavaleiros Rui Salvador, Vítor Ribeiro e João Telles Jr, bem como os Forcados de Moura, Safara e Amareleja, para enfrentarem seis touros de José Luis Pereda.

D. José Luis Pereda enviou para a sua praça, agora gerida pela empresa Toiros e Tauromaquia, seis touros bem apresentados e dando jogo desigual. Destaque para o touro lidado em terceiro lugar, que foi bravo, investia com codícia, no entanto não tinha muito poder.


Abriu a noite Rui Salvador, que teve pela frente o pior lote da noite, dois touros algo distraídos em que o cavaleiro labutou para realizar as lides que tinha idealizado e conseguiu. Uma vez mais mostrou que seja em que praça for, Salvador está lutador e coloca a “carne no assador”.

Vítor Ribeiro, também soube estar por cima dos seus oponentes. Duas lides de nota alta sempre a mexer com os touros mudando-os de terrenos. Esteve bem na brega, indo de frente para os touros. Na lide do primeiro touro Vítor Ribeiro viu ainda o seu bandarilheiro José Carlos Nicolau ser colhido aparatosamente felizmente sem muita gravidade, no entanto já não toureou neste festejo.

João Telles jr, foi mais uma vez o mais bafejado pela sorte, o seu primeiro touro foi um touro extraordinário que o jovem cavaleiro aproveitou da melhor forma para triunfar. Uma lide com ritmo, boa conexão com o publico e onde tivemos oportunidade de ver bons momentos de toureio. Na segunda ldie voltou a estar em plano elevado, mas num estilo mais popular, destacando-se no par de bandarilhas a duas mãos com que encerrou a actuação.

Pelo Real Grupo de Forcados Amadores de Moura pegou Rui Ameixa, á terceira e João Cabrita, à primeira, tendo este Grupo arrebatado o Troféu para Melhor Grupo.

O Grupo de Safara, viu o seu primeiro touro desembolar-se e não poder ser pegado, na segunda pega esteve na cara Bruno Valente, que depois de três tentativas goradas viu o publico aceitar como concretizada à quarta, mas na realidade não ficou pois o forcado ficou fora, tendo sido colocado na cara já depois do touro imobilizado, como as imagens demonstram.

Quanto aos Amadores da Amareleja e depois do que se viu na sua própria terra á que repensar a sua continuação, porque ainda pode haver tragédia. No primeiro touro onde o grupo até poderia ter brilhado tentaram por três vezes, tendo José Chicharo dobrado um colega seu e concretizou à sua primeira, num momento também único. Digo único porque o forcado esteve fora da cara do touro, depois por sorte o touro voltou a meter a cara e como um artista de alpinismo o forcado subiu para a cara do touro e o grupo deu por consumada a pega. No seu segundo touro foi completamente vivo para dentro, depois de algumas tentativas goradas e com muito poucos elementos em praça, tentou-se uma cernelha sem sucesso.

Assim não se dignifica a figura do Forcado. Um tema que irá merecer mais reflexão.

Esta corrida foi correctamente dirigida pelo Sr. Agostinho Borges assessorado pelo Dr. Matias Guilherme.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

17 de Setembro, Granja

Manuel Telles Bastos

João Moura Caetano

João Maria Branco

Forcados Amadores de Safara

Forcados Amadores de Póvoa de São Miguel

6 Toiros Murteira Grave

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Novilhada de Amareleja

O GFA Safara deslocou-se até à vila de Amareleja, para participar na novilhada anual ali realizada. O cartel era composto pelos amadores Manuel Vacas de Carvalho, Claúdia Almeida, Hugo Carvalho e Jacobo Botero. Os novilhos pertenciam à ganadaria Couto Fornilhos e para as pegas estavam o GFA Safara e o GFA Amareleja.
Pelo nosso grupo foram solistas Bruno Valente à 1º tentativa e Fábio Maurício à 4º tentativa.

Já esta sexta-feira o GFA Safara tem mais um compromisso de grande importante, no Sobral da Adiça perante toiros de José Luís Pereda e onde está em disputada o prémio para a melhor pega.

Os 4 novilhos lidados

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Sobral da Adiça, 19 de Agosto

No próximo dia 19 de Agosto o GFA Safara irá realizar o segundo evento da temporada 2011. A corrida esta integrada nas tradicionais festa em honra de Nossa Senhora do Ó e contará com o seguinte cartel.

Cavaleiros
Rui Salvador

Vítor Ribeiro

João Telles Jr.

Forcados
Moura

Safara

Amareleja

Toiros
José Luís Pereda

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Último treino da temporada

O GFA Safara desloca-se no próximo dia 30 de Julho até ao Monte do srº Joaquim José Cecílio onde realizará o último treino da temporada.
Sendo assim chega ao fim a "pré-época" do grupo que no próxima dia 16 de Agosto actuará em Amareleja na novilhada anual desta localidade e tem mais algumas corridas ainda não confirmadas.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Amareleja, 16 de Agosto

Cavaleiros
Manuel Vacas de Carvalho
Cláudia Almeida
Hugo Carvalho
Jacob Botero

Forcados Amadores de:
Safara
Amareleja

4 Novilhos 
Couto Fornilhos

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Pedro Lúcio (Cabo do GFA Safara), em entrevista para o site Toureiro.com

O Grupo de Forcados Amadores de Safara foi fundado em 1975, tempos quentes que se viviam após a revolução dos cravos.
Safara uma pequena povoação situada no concelho de Moura, onde a sua população maioritariamente vive da agricultura e pecuária, com muitos “Filhos da Terra” ausentes, mas que sempre que há toiros ou treinos dos forcados, é velos regressar a sua terra mãe, vêm do Algarve, vêm de Lisboa e no dia do treino à hora marcada, lá estão os homens das pegas para mais um dia onde acima de tudo está o orgulho de ser de Safara.
Foi neste ambiente que assistimos a mais um treino de forcados, desta vez fomos convidados pelos Amadores de Safara e que melhor cenário, se não a Herdade dos Outeiros, onde pasta a Ganadaria de Varela Crujo, falamos com o cabo do grupo do Baixo Alentejo, Pedro Lúcio.

Toureio.com (T) – Pedro, cabo do Grupo de Safara, há quantos anos a envergar a jaqueta do grupo.
Pedro Lúcio (PL) – Há precisamente 11 para 12 anos.

T – O Grupo de Safara existe desde setenta e cinco, tem tido momentos altos e momentos menos bons, Pedro como está o grupo neste momento?
PL – Actualmente o grupo é constituído por muita gente jovem, muita gente com vontade de aprender, muita vontade de pegar toiros, gente com muita qualidade e penso que estamos no bom principio, para termos muitas tardes / noites de glória.

T – O que é que um forcado, um cabo de um grupo pensa, quando salta para uma praça e que tem que gerir os sentimentos, as emoções de quinze, vinte elementos?
PL – Acima de tudo tem que conhecer bem o grupo, incutir-lhe serenidade e espírito de grupo, depois é ter também a sorte do seu lado, para que as pessoas que escolhe para pegar sejam capazes de no menor numero de tentativas concretizar uma pega, para que no final sem ninguém se aleijar, tenha sido mais uma tarde de glória.

T – O Grupo de Safara faz parte da Associação Nacional de Grupos de Forcados, muito se fala na associação, muito se tem falado que a “Festa” se encontra dividida, Pedro como tem visto o papel da associação na defesa dos seus associados e a questão das tão faladas bandarilhas de segurança?
PL – A associação está a ter um papel fundamental em manter a igualdade entre todos os grupos, em todos os aspectos e principalmente com as empresas, obrigando por exemplo que todos os empresários tenham que cumprir os regulamentos e os compromissos com os grupos. Quanto as bandarilhas de segurança, a associação tem vindo a trabalhar muito nesse sentido e penso que haverá uma data limite no próximo ano para que sejam sempre as bandarilhas de segurança, e, o Grupo de Safara, apoia os ferros de segurança, pois já tivemos alguns acidentes com as bandarilhas.

T – Pedro há tempos a ANGF deliberou que os seus associados não pegassem corridas em pontas ou só em casos muito especiais, no entanto há grupos associados que atravessam a fronteira e vão pegar toiros desembolados, como vês esta situação?
PL – É muito relativo, é muito complicado, tanto podemos ter um azar com um toiro desembolado, como com um toiro embolado, no entanto há mais probabilidades de acontecer um acidente com um toiro desembolado.

T – Se o Grupo de Safara for contactado para pegar uma corrida em pontas em Portugal e outra em Espanha, como faz?
PL – Em Portugal, primeiro teremos de ouvir a opinião da ANGF e depois logo se verá o que se poderá fazer, em Espanha aí já é diferente tudo passa por se analisar a proposta e se ela for benéfica para o grupo, aceita-se mas só se for novilhos, toiros não.

T – Pedro para terminar, perspectivas para esta temporada? E Campo Pequeno!
PL – Bem as perspectivas são boas, embora estejamos conscientes das dificuldades que vamos enfrentar pois estamos numa altura de crise e certamente se reflectirá no numero de corridas, mas já temos alguma coisa e certamente será mais uma temporada positiva, quanto à outra pergunta que me faz,… o Campo Pequeno…é complicado mas é o sonho de qualquer toureiro, de qualquer forcado.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

GFA Safara participa na Festa do Forcado

O Grupo de Forcados Amadores de Safara deslocou, neste sábado 2 de Abril até Évora para participar no Torneio de Cernelhas da 4º Edição da Festa do Forcado.
Os forcados que representaram o GFA Safara foram Albino Martins e Bruno Valente.
Infelizmente foram eliminados na 1º ronda frente ao GFA Vila Franca de Xira. O que interessa é participar e mostrar que o GFA Safara está vivo.